Mais eclética, impossível. A eleição dos Melhores & Piores de TV Press na categoria Linha de Shows mostra que a pulverização da audiência é uma realidade. Tanto que cinco enissoras podem comemorar suas vitórias por programas que se destacaram positivamente em 2008. E, como se trata de um caminho de mão-dupla, a maioria também acabou lembrada na hora de se definirem os piores do ano.

A grande surpresa de 2008 é, sem dúvida, o desempenho do CQC – Custe o que Custar, da Band. A proposta inicialmente parecia fraca, mas a irreverência de Marcelo Tás e seus colegas uniformizados de terno preto fez com que os rapazes saíssem como os grandes vitoriosos no quesito Produção Humorística. E com todos os méritos, já que nem um editor de jornal ou portal sequer deu seu voto a outra produção humorística quando a disputa era pelo melhor do ano. Pelo visto, é o fim da “Era Pânico na TV”, em referência ao programa antes premiado por dois anos consecutivos da Rede TV!.

Humor incontestável
A Band pode ter falhado em várias categorias do prêmio, mas faturou a única unanimidade. Cabe ao
CQC – Custe o que Custar o título de melhor Produção Humorística, numa votação surpreendente. As tiradas cômicas e o jeito inusitado de criticar a política, o esporte e a sociedade dos sete homens de preto brasileiros arrebatou os votos de todos os críticos e jornalistas convidados na eleição. Não sobrou unzinho sequer que lembrasse os tempos de glória do já desgastado Pânico na TV, vencedor do ano passado. Ou de qualquer outro programa.

Fonte: Terra – Gente e Tv

Anúncios