Rafael Cortez, o repórter do CQC, é sempre o alvo das brincadeiras dos colegas do programa, que questionam a sua sexualidade. Em entrevista ao site O Fuxico, o humorista diz que as pessoas sempre o ‘sacaneiam’ e ele, como humorista, aprendeu que não existe ego no humor.

cortezof

“Seria bem ridículo eu, como integrante de um programa de humor, se levasse a sério. Então, se entrou essa piada para mim eu tenho de aprender a rir dela. Eu mesmo faço um monte de piada disso. Eu deixo no ar uma dúvida. Apesar de eu não ser, as minhas matérias, o meu personagem, trazem traços muito bissexuais. É uma coisa consentida que faz parte da piada”.

Apesar das brincadeiras, Rafael deixa bem claro que é heterossexual, sem nenhuma crise sexual, mas, em algumas de suas matérias, se for preciso dar uma ‘desmunhecada’, ele não terá problemas com isso.

“O chato é quando eu passo a ser um personagem mais forte do que os meus personagens. Quando eu converso com alguém que me para e diz ‘você não é o cara?’ e eu viro o eixo da matéria, isso não é bom nem para o programa, nem pra  entrevista, nem pra mim. Mas eu acho que está tranquilo. Eu não me queixo de nada disso”, esclarece.

A imprensa não questiona sobre este assunto, mas o artista diz que seus seguidores do Twitter e as pessoas na rua sempre têm piadinhas para fazer.

“A galera da imprensa sempre percebeu que é um personagem que eu faço e que é assim mesmo. Da mesma maneira que eu me faço parecer gay, pareço ser mais burro do que eu sou na realidade. Tem muitas coisas no CQTeste que eu sei a resposta e eu erro porque vai ficar muito mais engraçado. Tem muitos momentos que tem essa pérola de idiotice e não sou um idiota. Eu sou formado, eu leio, estudo, mas em muitos momentos deixo o personagem do estúpido entrar em mim”.

Fonte: ofuxico.

Anúncios